" Cada pessoa se alimenta do que lê, do que escuta, do que vê, de tudo que recebe do mundo e incorpora a si, assim como absorve um perfume. E se torna um pouco daquilo que fala, que ouve e toca. Se suas idéias e pensamentos são partes construtivas do seu ser, cada um doa seus conteúdos ao mundo ao expressá-los através de suas palavras e gestos ".

I Ching --- Livro : Medicina Integrativa - A cura pelo equilíbrio - Paulo de Tarso Lima.



domingo, 29 de novembro de 2009

Sorvetes com sabores do Brasil

Os sabores de sorvete estão cada vez mais exóticos.
Nesta reportagem descobri uma sorveteria interessante, Taperebá, em Moema. São sabores incríveis. Só experimentando ... Vale a visita !

http://videos.band.com.br/v_42579_cotidiano_os_sabores_de_sorvete_estao_cada_vez_mais_exoticos.htm
video

Imagens : Carlos Alberto

Edição : Eduardo Sorrentino

Comércio popular

A menos de um mês para o Natal, as ruas de comércio popular de São Paulo ficam lotadas até durante a madrugada. Compradores saem de outros estados em busca de roupas, bijuterias e artigos baratinhos para presentear e revender.


http://videos.band.com.br/v_42567_cotidiano_comercio_popular_lotado_ate_na_madrugada_em_sp.htm
video

Imagens : Marcelo Amorin

Edição : Denise Belintani

sábado, 28 de novembro de 2009

Não a superficialidade

Dar sentido ao trabalho das pessoas... Isso não é dever só do líder, chefe, ou quem quer que esteja “mandando”. Diariamente me sinto “tentada” em observar o trabalho das pessoas. E quando posso, apenas com um sorriso ou um comentário aparentemente bobo, faço lembrar que elas existem, fazem parte do universo que nos rodeia. Elas são importantes, não são invisíveis.
Em um mundo de comodities como o nosso o que se diferencia é o sentimento, a forma como executamos as obrigações diárias. Seja na vida profissional ou pessoal. Mas aqui as palavras são dedicadas ao trabalho. Estar em determinado emprego é uma opção, a primeira obrigação é ser feliz, não é? Qual é a graça? Qual é o objetivo de passar mais tempo com os parceiros de profissão do que com as pessoas que amamos. O que está a nosso alcance é tornar a jaula mais habitável.

O amor é a motivação mais essencial em tudo o que realizamos. Mas a ciência e a tecnologia estão avançando de maneira muito mais veloz do que o pensamento, que pede certa paciência. A opinião, reino das incertezas, pode enganar. Quem emite e quem recebe. Depois de conhecer e conviver com tantas pessoas, procuro as que realmente merecem o meu pensamento. O tempo passa e o que fica é a saudade do ontem, saudade da saudade. Qual é a razão de tudo isso?

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Mulher nota 9

Texto enviado pela amiga Fabiana Favaro. Longe demais para um abraço cheio de saudade, ela sente minhas tristezas... A diferença é que eu não oriento monografias e não vejo minha mae semanalmente, infelizmente.... Ela lembrou de mim com o texto, ela se importa com o que escrevo e como estou tocando os dias.... Ela está em uma cidade ao lado de Londres e eu nem sei o que dizer, só sinto uma avalanche que se desmancha em lágrimas.

Mulher Nota 9 (Martha Medeiros com adaptações de Geisianne Rizo)

Eu não sirvo de exemplo para nada, mas, se você quer saber se isso é possível, me ofereço como piloto de testes. Sou a Miss Imperfeita, muito prazer. Uma imperfeita que faz tudo o que precisa fazer, como boa profissional e mulher que também sou: trabalho todos os dias, ganho minha grana, vou ao supermercado uma vez por semana, decido o cardápio dos domingos, saio com a minha mãe todas as semanas, procuro minhas amigas, namoro, viajo, vou ao cinema, pago minhas contas, respondo a toneladas de e-mails, faço revisões no dentista, mamografia, oriento 11 monografias do curso onde sou coordenadora, caminho cinqüenta minutos diariamente, faço pilates 2 vezes por semana, compro flores para casa, providencio os consertos domésticos, participo de eventos e reuniões ligados à minha profissão e ainda faço escova toda semana - e as unhas! E, entre uma coisa e outra, leio livros. Portanto, sou ocupada, mas não uma workaholic.

Por mais disciplinada e responsável que eu seja, aprendi duas coisinhas que operam milagres. Primeiro: a dizer NÃO. Segundo: a não sentir um pingo de culpa por dizerNÃO. Culpa por nada, aliás.Existe a Coca Zero, o Fome Zero, o Recruta Zero. Pois inclua na sua lista a Culpa Zero.

Quando você nasceu, nenhum profeta adentrou a sala da maternidade e lhe apontou o dedo dizendo que a partir daquele momento você seria modelo para os outros. Seu pai e sua mãe, acredite, não tiveram essa expectativa: tudo o que desejaram é que você não chorasse muito durante as madrugadas e mamasse direitinho.Você não é Nossa Senhora. Você é, humildemente, uma mulher. E, se não aprender a delegar, a priorizar e a se divertir, bye-bye vida interessante.

Porque vida interessante não é ter a agenda lotada, não é ser sempre politicamente correta, não é topar qualquer projeto por dinheiro, não é atender a todos e criar para si a falsa impressão de ser indispensável.É ter tempo. Tempo para fazer nada. Tempo para fazer tudo. Tempo para dançar sozinha na sala. Tempo para bisbilhotar uma loja de discos. Tempo para sumir dois dias com seu amor. Três dias. Cinco dias! Tempo para uma massagem. Tempo para ver a novela. Tempo para receber aquela sua amiga que é consultora de produtos de beleza. Tempo para fazer um trabalho voluntário. Tempo para procurar um abajur novo para seu quarto. Tempo paraconhecer outras pessoas. Voltar a estudar. Para engravidar. Tempo para escrever um livro que você nem sabe se um dia será editado. Tempo, principalmente, para descobrir que você pode ser perfeitamente organizada e profissional sem deixar de existir.Porque nossa existência não é contabilizada por um relógio de ponto ou pela quantidade de memorandos virtuais que atolam nossa caixa postal.Existir, a que será que se destina? Destina-se a ter o tempo a favor, e não contra. A mulher moderna anda muito antiga. Acredita que, se não for super, se não for mega, se não for uma executiva ISO 9000, não será bem avaliada.Está tentando provar não-sei-o-quê para não sei-quem.

Precisa respeitar o mosaico de si mesma, privilegiar cada pedacinho de si.Se o trabalho é um pedação de sua vida, ótimo! Nada é mais elegante, charmoso e inteligente do que ser independente.Mulher que se sustenta fica muito mais sexy e muito mais livre para ir e vir. Desde que lembre de separar alguns bons momentos da semana para usufruir essa independência, senão é escravidão, a mesma que nos mantinha trancafiadas em casa, espiando a vida pela janela.Desacelerar tem um custo. Talvez seja preciso esquecer a bolsa Prada, o hotel decorado pelo Philippe Starck e o batom da M.A.C. Mas, se você precisa vender a alma ao diabo para ter tudo isso, francamente, está precisando rever seus valores.E descobrir que uma bolsa de palha, uma pousadinha rústica à beira-mar e o rosto lavado (ok, esqueça o rosto lavado) podem ser prazeres cinco estrelas e nos dar uma nova perspectiva sobre o que é, afinal, uma vida interessante.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Não há outro caminho.

"Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre. Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração! Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente! Não sei amar pela metade,não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão. Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra SEMPRE!"

http://www.claricelispector.com.br/

Seja amigo dos sentimentos

Como posso realmente ver o nível sutil do medo que sinto dentro de mim?

O único problema com tristeza, desespero, raiva, desesperança, ansiedade, angústia, miséria, é que você quer se livrar delas. Essa é a única barreira.Você terá que conviver com elas. Você não pode escapar. Elas são a própria situação na qual a vida tem que se integrar e crescer. Elas são os desafios da vida. Aceite-as. Elas são bênçãos disfarçadas.

Se você quer fugir delas, se você de alguma maneira quer se livrar delas, então surge um problema – porque se você quer se livrar de algo você nunca olha diretamente para isso e assim a coisa começa a se esconder de você porque você começa a condenar. Assim a coisa continua afundando no inconsciente, se escondendo no mais escuro canto de seu ser onde você não pode encontrá-la. Ela vai para os fundamentos de seu ser e se oculta lá. E, é claro, quanto mais fundo for mais problemas irá criar – porque então começa a funcionar de cantos desconhecidos de seu ser e você fica completamente desamparado.


Então a primeira coisa é: nunca reprima. A primeira coisa é o que quer que seja o caso é o caso. Aceite-o e deixe-o vir; deixe-o vir em frente a você. De fato, apenas dizer “Não reprima”, não é suficiente. Se você me permite, gostaria de dizer, “Seja amigo disso”.Você está se sentindo triste? Seja amigo disso. Tenha compaixão disso. A tristeza também possui um ser. Permita-o, sente-se com ele, segure as mãos dele. Seja amigável. Apaixone-se por ele. A tristeza é bela! Não há nada de errado nela. Quem lhe disse que algo está errado em ser triste? Na verdade, só a tristeza lhe dá profundidade. A risada é superficial, a felicidade tem a profundidade da pele. A tristeza penetra até os ossos, até a medula.Nada penetra mais fundo do que a tristeza.Assim, não se preocupe. Permaneça com isso e a tristeza lhe levará para o seu âmago mais profundo. Você pode passear nisso e você será capaz de conhecer umas poucas coisas novas sobre seu ser que você nunca tinha conhecido antes.

Essas coisas só podem ser reveladas num estado de tristeza, elas nunca podem ser reveladas num estado de felicidade. A escuridão também é boa e a escuridão também é divina.Uma pessoa que pode ser pacientemente triste subitamente descobrirá numa manhã que uma felicidade está surgindo em seu coração de alguma fonte desconhecida. Essa fonte desconhecida é a existência. Você ganhou isso se você esteve verdadeiramente triste, se você esteve verdadeiramente sem esperança, desesperado, infeliz, miserável, se você viveu no inferno, você ganhou o paraíso. Você pagou o preço.Confronte a vida. Encontre a vida. Momentos difíceis acontecerão, mas um dia você verá que esses momentos difíceis lhe deram força porque você os enfrentou. Eles foram feitos para ser assim.

Esses momentos difíceis são duros quando você está passando por eles, mas depois você verá que eles lhe tornaram mais integrado. Sem eles você nunca teria ficado centrado, fundamentado. Deixe que a expressão seja uma das regras mais importante da sua vida. Mesmo que você tenha que sofrer por isso, sofra. Você nunca será um perdedor. Esse sofrimento lhe tornará cada vez mais capaz de desfrutar da vida, de regozijar-se na vida.


Osho, Extraído de: The Art of Dying

domingo, 22 de novembro de 2009

28 anos depois...

Grande Ballét Clássico de Moscow. Uma das 3 maiores companhias de dança do mundo. Preciso dizer mais alguma coisa ? Assista :

http://bandnewstv.band.com.br/conteudo.asp?ID=226076&CNL=20


video

Imagens : Carlos Varella / Jair Oliveira

Edição : Cecília Negrão

Poderia ser pior.

Um dos maiores fenômenos literários da atualidade chega aos cinemas brasileiros. "Lua Nova" é a continuação da saga "Crepúsculo", uma série de livros que conta a história do romance entre uma garota e um vampiro.
http://bandnewstv.band.com.br/conteudo.asp?ID=225502&CNL=20

Imagens : Carlos Varella / Jair Oliveira

Em tempo : com tanto "frisson" pelo sobrenatural, o amor impossível, e bla bla bla, percebi que ou faltam novos livros bons, ou os " jovens " ignoram os antigos.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

20 "serviços" que o espiritismo faz por você...

1 – Integra você no conhecimento de sua posição de criatura eterna e responsável, diante da vida.
2 – Expõe o sentido real das lições do CRISTO e de todos os outros mentores Espirituais da humanidade, nas diversas regiões do planeta.
3 – Suprime-lhe as preocupações originárias do medo da morte, provando que “ela” não existe!
4 – Revela-lhe o princípio da reencarnação,determinando o porquê da dor e das aparentes desigualdades sociais.
5 – Confere-lhe forças para suportar as maiores vicissitudes do corpo, mostrando a você que o instrumento físico nos reflete as condições ou necessidades do espírito.
6 – Tranquiliza você com respeito aos desajustes da parentela, esclarecendo que o lar recebe não somente afetos, mas também os desafetos de existências passadas, para a necessária regeneração.
7 – Demonstra-lhe que o seu principal templo para o culto da presença Divina é a consciência.
8 – Liberta-lhe a mente de todos os tabus em matéria de crença religiosa.
9 – Elimina a maior parte das preocupações acerca do futuro além da “morte”.
10 – Dá-lhe o conforto do intercâmbio com os entes queridos, depois de desencarnados.
11 – Entrega-lhe o conhecimento da Mediunidade.
12 – Traça-lhe providência para o combate ou para a cura da obsessão.
13 – Concede-lhe o direito à fé raciocinada.
14 – Destaca-lhe o imperativo da caridade por dever.
15- Auxilia você a revisar e revalorizar os seus conceitos de trabalho e tempo.
16 – concede-lhe a certeza natural de que se beneficiamos ou prejudicamos alguém, estamos beneficiando ou prejudicando a nós próprios.
17 – Garante-lhe serenidade e paz diante das calúnias ou das críticas.
18 – Ensina você a considerar adversários por instrutores.
19 – Explica-lhe que, por maiores que sejam as dificuldades exteriores, intimamente você é livre para melhorar ou agravar a própria situação.
20 – Patenteia-lhe que a fé ilumina o caminho, mas ninguém fugirá da lei que manda atribuir a cada qual segundo suas obras pessoais.

André Luiz

Conheça o site: www.mensageirosdapaz.org.br

1989 a 2009

Há 20 anos, o Brasil vivia um dos momentos mais importantes para a democracia no país. A ditadura militar havia acabado e a primeira eleição direta para presidente estava prestes a se tornar realidade. Para celebrar a data e avaliar o que mudou até hoje, a Rádio Bandnews FM promoveu um debate com Dora Kramer, Fernando Mitre, Antonio Lavareda com mediação de Barbara Gancia.

http://bandnewstv.band.com.br/conteudo.asp?ID=223423&CNL=20
Imagens : Carlos Varella // Edição: Pedro Motta.

Em tempo : a sociedade evoluiu muito mais do que a política. Mas ainda não sabe como agir e qual a importancia dessa maturidade.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Normose

"E aqueles que foram vistos dançando, foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música." Friedrich Nietzsche

"NORMOSE" (a doença de ser normal)

Todo mundo quer se encaixar num padrão. Só que o padrão propagado não é exatamente fácil de alcançar. O sujeito "normal" é magro, alegre, belo, sociável, e bem-sucedido. Bebe socialmente, está de bem com a vida, não pode parecer de forma alguma que está passando por algum problema. Quem não se normaliza", quem não se encaixa nesses padrões, acaba adoecendo.
A angústia de não ser o que os outros esperam de nós gera bulimias, depressões, síndromes do pânico e outras manifestações de não enquadramento.
A pergunta a ser feita é: quem espera o quê de nós? Quem são esses ditadores de comportamento que "exercem" tanto poder sobre nossas vidas?
Nenhum João, Zé ou Ana bate à sua porta exigindo que você seja assim ou assado. Quem nos exige é uma coletividade abstrata que ganha "presença" através de modelos de comportamento amplamente divulgados. A normose não é brincadeira. Ela estimula a inveja, a auto-depreciação e a ânsia de querer ser o que não se precisa ser.
Você precisa de quantos pares de sapato? Comparecer em quantas festas por mês? Pesar quantos quilos até o verão chegar? Então, como aliviar os sintomas desta doença? Um pouco de autoestima basta. Pense nas pessoas que você mais admira: não são as que seguem todas as regras bovinamente, e sim, aquelas que desenvolveram personalidade própria e arcaram com os riscos de viver uma vida a seu modo. Criaram o seu "normal" e jogaram fora a fórmula, não patentearam, não passaram adiante. O normal de cada um tem que ser original. Não adianta querer tomar para si as ilusões e desejos dos outros. É fraude. E uma vida fraudulenta faz sofrer demais. Eu simpatizo cada vez mais com aqueles que lutam para remover obstáculos mentais e emocionais e tentam viver de forma mais íntegra, simples e sincera. Para mim são os verdadeiros normais, porque não conseguem colocar máscaras ou simular situações. Se parecem sofrer, é porque estão sofrendo. E se estão sorrindo, é porque a alma lhes é iluminada.
Por isso divulgue o alerta: a normose está doutrinando erradamente muitos homens e mulheres que poderiam, se quisessem, ser bem mais autênticos e felizes.

Michel Schimidt Psicoterapeuta

Paz no coração

É de tamanha importância, diria até, o objetivo maior de nossa existência, a Paz no Coração.

Quando temos Paz no Coração, irradiamos amor, carinho, confiança a tudo e a todos que nos cercam. As pessoas sentem a presença desse bem estar divino que inundamos. O ambiente torna-se menos hostil, mais ameno e caloroso, os níveis de ajuda, de compreensão, de candura, de receptividade, por si só tornam-se imensos, dilatando-se, transcendendo à nossa visão e compreensão.

Fazemos o bem pelo bem, independendo de algum outro objetivo, de algum outro querer.
Essa prática automática do fazer o bem, transcende nossos pensamentos, pois nossas atitudes configuram um comportamento repleto de amor, maior que a nossa vontade alcançando até corações duros, ressentidos como rocha e amolecendo-os.

Investir no bem, na escuta e auxílio ao próximo, nos oferece como recompensa esse estado pleno de Paz no Coração. Esse sentimento nos enobrece e permeia a todos nossos pares, inundando-nos como um bálsamo numa atmosfera de paz transcendental, de alegria sem fim.
Portanto, a prática do bem, a vontade de ajudar são pré-requisitos para a Paz no Coração. São caminhos que nos levam a desabrocharmos a Centelha Divina existente em cada um de nós, adormecido para a maioria, em letargia para tantos e desperta para poucos de boa vontade. Àqueles que já sentiram o gostinho, não há volta ou retorno de espécie alguma. Experimentou, gostou, não volta mais. E aqueles que quiserem experimentar é só começar!!

Simples assim

Faça o que for necessário para ser feliz.Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontra-la e deixa-la ir embora por não perceber sua simplicidade.
Mario Quintana.

domingo, 15 de novembro de 2009

De 1554 a 2009.

Em um passeio pelo centro de São Paulo eu ouvia histórias da História e o Pátio do Colégio a nossa frente era mais uma parada obrigatória entre tantos prédios valiosos e esquecidos. A placa “Aqui nasceu São Paulo” é um convite que poucos aceitam. Muitos não compreendem ou por preguiça desconhecem. Nós paramos e descobrimos muito do chão que pisamos.

De catequese dos índios, o Colégio passou a abrigar o Palácio dos Governadores, depois a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo e em 1979 tornou-se Museu Anchieta. Nele há uma grande maquete, mapa hidrográfico e desenhos das transformações da São Paulo de Piratininga. Um pouco da história que já foi recontada por séculos. Mas, ver e identificar os bairros é uma atração à parte. Divertido não foi relembrar que o progresso nasceu por imposição religiosa, mas isso é outra história. Igreja do Beato Anchieta, cripta e um espaço muito charmoso, fresco, com pássaros se refrescando e vegetação exclusiva. O restaurante Pateo do Collegio oferece comida boa e uma contemplação interessante.

Da porta para fora uma São Paulo abafada, suja e maltratada nos esperava.

Porém, sempre há um: vamos? Opa! Porque não? É assim cada dia com o "sol de minha vida". E em todos os desvios de rota, uma descoberta. Aliás, há um sino na entrada que representa a Paz. Toque e faça o som ecoar. Aceite.

Arvore com cadeiras


Uma Árvore de Natal Gigante ornamentada totalmente com cadeiras de rodas.
A intenção é chamar a atenção dos empresários e moradoresde Alphaville para colaborarem com a doação de cadeiras de rodas neste natal, beneficiando a população cadeirante ou com necessidades especiais carentes das cidades da região Oeste da Grande São Paulo e algumas do Interior do Estado. A meta do Empresário Ibraim é conseguir até o natal deste ano 600 cadeiras de rodas, e seu entusiamo é muito grande, vários empresários e comerciantes de Alphaville e região já aderiram a campanha.
Hoje, o custo de uma cadeira de rodas é de apenas R$ 157,00. Como o próprio Empresário Ibraim fala “Neste Natal, Abra seu coração”.
Para Doar ligue (011)4208-5000 e fale com o próprio Ibraim ou Pessoalmente em sua loja na Rio Negro Veículos no Estacionamento da Padaria Laville na Alameda Rio Negro em Alphaville – Barueri. Aproveite, e conheça a Maior árvore de Natal do Brasil ornamentada toda em cadeiras de Rodas, é algo Fantástico. Para quem não lembra o empresário Ibraim é o mesmo que criou no Natal do Ano passado (2008) a primeira versão da Maior Árvore de Natal ornamentada com Cadeiras de Rodas do Brasil e distribuiu mais de 300 cadeiras de rodas na região Oeste da Grande São Paulo.E criou também, o maior carro alegórico do Brasil em forma de uma “cadeira de roda gigante” no Carnaval deste ano na Cidade de Santana de Parnaíba, com o Bloco “Me segura se não eu Caio” e foi sucesso absoluto.


Não é uma comédia romântica


Esse não é um filme de amor... O que é dito no início do filme provocou certa dúvida, mas o desenrolar foi traçando o possível fim. Muitas chances são ignoradas. Medo do passado, ou do futuro. A reação vai depender das experiências que ela ou ele que assiste teve ao longo da vida. Mas, o que serve para todos é o recado da observção. Quando o apaixonado está tão ansioso pela mudança dela, ele não percebe que deveria e que poderia ser ele mesmo. Ela deu sinais, e esses são fundamentais. Mas, o amor cega mesmo. E, confesso, pode trazer tanta aflição que às vezes joga contra. Exatamente o que acontece em 500 dias com ela.
Porém, o apaixonado logo descobre que por mais que coincidências ou acasos existam, também há o livre arbítrio, e se o amor de sua vida cair de pára-quedas na sua frente, se você não der sua mão sem preconceitos, o amor vai recolher o equipamento. A atitude é a melhor amiga dessas situações. A atitude é a melhor amiga da coincidência, ou será mais um fato, um tombo, ou um susto.
O jogo Expectativa X Realidade só terá um empate se o diálogo for onipresente. Diálogo dos medos, das angustias e dos sonhos. Porque quem ama sonha e planeja a realização deles. Porque, sem ofensas, quem ama sua vida, não brinca com a do outro.
E se no meio do caminho o sonho for interrompido, graças a Deus e as mentes lúcidas, existe o perdão, o recomeço. A vida nos prova, eu sou a prova.

O carnaval do Natal

Eu não sabia, mas a decoração natalina é como o carnaval. O planejamento começa um ano antes, e quando os galhos de 2009 não farão mais sentido, eles serão reaproveitados ou não para 2010.
Filmamos os bastidores de algumas decorações de shoppings de Sao Paulo. Na madrugada, tudo acontece.

http://bandnewstv.band.com.br/conteudo.asp?ID=222166&CNL=20

Edição : Denise Belintani
Imagens : Carlos Varella e Jair de Oliveira

Ensaio sobre o caos

Não reclame do que está ruim porque pode ficar pior. A frase fez muito sentido na terça-feira, 10 de novembro as 22h15. A luz acabou. Eu, Varella e Jair produzíamos uma matéria no Shopping Paulista. Logo lembrei da época da escola... Quando acabava a luz era uma barato.... Mas ela logo voltava e pensei “é só uma queda de luz”. Milhões de pessoas pensaram o mesmo até que desistiram de esperar e foram procurar suas velas ou faroletes. E nós fomos para a Avenida Paulista. Uma das principais da capital.

Registrávamos tudo. Motoristas nervosos em um trânsito confuso, pedestres se arriscavando por causa da ignorância de alguns, e eu pensava no que poderia acontecer se aquela situação durasse horas ou até dias, porque não ? 60 milhões de brasileiros estavam no escuro. Alguns estavam em elevadores, outros em hospitais, milhares de estudantes buscavam alternativas a pé, já que o metrô parou e a frota de ônibus não dava conta, roubos e descontroles.
No instante que ouvi o silencio da falta de energia elétrica ouvi o som do medo. E eu fiquei com medo, mas tinha uma missão. Precisa registrar para os que assistiriam a Band no dia seguinte, e precisava informar horas depois para poucos estados que não foram atingidos.
As pessoas estavam em pânico. Não estou exagerando. Eu vi, ouvi e informei a elas o pouco que sabia. Sem transporte, telefone e luz, as pessoas perdiam a paciência e ganhavam o desespero. Lembrei do livro Ensaio sobre a Cegueira. Sim, a sociedade está condicionada e qualquer coisa que aconteça fora do padrão desorienta as pessoas. Os geradores que iluminavam poucos e faziam sobreviver outros no hospital também poderiam parar.
4 horas depois encontrávamos um ônibus elétrico em uma das ruas da Mooca. Parado. Os passageiros estariam caminhando em busca de luz e em busca da “ normalidade ”.

O rádio foi nosso orientador. Ouvíamos a Rádio Sulamérica Transito e prestava atenção nas palavras de Daniela Florenzano. Objetivas e auxiliadoras. Registro agora, dias depois, o trabalho impecável dela e da outra Dani, a Gandolfi, que produzia do estúdio. Reconheço também o trabalho dos locutores da CBN e da BandNewsFM. Eles foram nossa luz. Quem estavam no carro ou os que não abandonaram suas pilhas puderam ouvir as informações do que até hoje não foi explicado. Pelo menos decentemente.


Assista o momento do blecaute, veja o que eu ví e a entrevista com especialista sobre Energias no Brasil.
http://bandnewstv.band.com.br/conteudo.asp?ID=220048&CNL=20
http://bandnewstv.band.com.br/conteudo.asp?ID=220679&CNL=20
http://bandnewstv.band.com.br/conteudo.asp?ID=219980&CNL=20
http://bandnewstv.band.com.br/conteudo.asp?ID=220677&CNL=20

Quem quer bacalhau....

Brinquedos, perfumes e alimentos. Os produtos importados vão dar o tom do Natal deste ano. Com o dólar mais baixo, o preço fica mais em conta, e atrai consumidores que já saem em busca de presentes, enfeites e afins...
Assista em http://bandnewstv.band.com.br/conteudo.asp?ID=218406&CNL=20


Visitar a rua 25 de março no plantão passado foi interessante. Pelo menos sonoramente. Vendedores de cds usam caixas de som de alta potencia. Eu e o Araújo andávamos driblando todos até que nosso possível mau humor na manhã de domingo foi amenizado por reparar que dessas caixas saiam boas músicas.
Ouvíamos Ray Conniff ou uma de minhas músicas preferidas: Kung Fu Fighting de Carl Douglas , lançada em 1974, acredite. Independente da letra o ritmo é ótimo. E o Araújo não sabia o que fazer para que eu parasse de dançar, agora a caminho do Mercadão.
Em tempo : sanduíche de mortadela a parte, aproveite mesmo os produtos importados.
O bacalhau está mais barato mesmo!

Segurança digital

A Justiça fecha o cerco contra o uso da internet para publicação de mensagens ofensivas. O piloto Rubens Barrichello ganhou uma ação de quase R$ 1 milhão, contra o Google. A empresa, que já recorreu da decisão, foi condenada por ter permitido a divulgação de falsos perfis do brasileiro no site de relacionamentos Orkut. Assista em
http://bandnewstv.band.com.br/conteudo.asp?ID=219911&CNL=20

Em tempo : Você “ espeta ” seu pen-drive em qualquer computador ? Faz Ctrl C - Ctrl V em tudo ? Está na hora de se informar melhor sobre segurança digital. O país não é uma terra sem lei, pelo menos digital. Saiba um pouco mais no site
www.patriciapeck.com.br/

domingo, 8 de novembro de 2009

Onde está ?

Reencontrar a alma deve começar pela escrita. É o que sinto, leio e compreendo. Estou tentando.

O solista

Baseado numa história real, O solista, é um belo filme. Um jornalista cansado, Robert Downey Jr., e a obrigação de encontrar “ histórias” permite o encontro com Nathaniel Ayers, Jamie Foxx, morador de rua que toca as duas cordas que restam de um velho violino. Além da história central o filme desenvolve uma intensa relação de amizade. A paixão e a liberdade acompanham a esquizofrenia de Ayers e desarmam um pouquinho o jornalista durão. É comovente a relação dos dois. E para a realidade, perceber que, as vezes, o que cobramos de uma amizade não temos condição de proporcionar.

Temporada de insetos

A temporada de insetos começou mais cedo este ano. O excesso de chuvas na primavera + calor + lixo abandonado anteciparam a reprodução dos pernilongos, moscas e mosquitos.

O pernilongo, por exemplo, tem vida curta, algumas semanas, mas seus ovos podem durar mais de um ano. Por isso a água parada é um perigo. O calor faz os ovos eclodirem e aí é aquela irritação. Assista em http://bandnewstv.band.com.br/conteudo.asp?ID=218230&CNL=20

Imagens : Araújo e Edição Even Sacchi

Em tempo: Saimos de uma casa de família de comercial de Doriana na zona norte e fomos para uma favela que fica em um braço da represa Billings, na zona sul. Senti o desespero das famílias que moram sobre o esgoto. O cheiro, o calor, o aperto, a falta. Tudo parece insuportável, mas para as famílias que alí vivem com seus bebês e idosos, essas dificuldades são inseridas na rotina . Um absursdo. Difícil pensar que a prefeitura não veja ou saiba disso. O lixo acumulado a falta de saneamento básico, básico, é revoltante.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Comparações

Comparações cansam. Atrofiam a mente. Mas, não estamos imunes a ela. Criticamos quem nos compara com alguém, e quando percebemos estamos fazendo o mesmo. Tudo e todos. Como ignorar esse movimento avassalador que vem das entranhas e toma conta dos pensamentos por horas, ou dias? Comparamos movimentos, sensações, capacidades, amores, ilusões, pessoas, amigos, luzes, cheiros, lembranças... Essas são as piores e mais indefesas. Ninguém pode defendê-las. Só a mente, mas ela está ocupada, fazendo outra comparação. Vamos parar de comparar quando tivermos equilíbrio. Os extremos são péssimos, terríveis. Também cansam muito. E nem sempre podemos reconhecer uma mentira, mas sabemos reconhecer uma verdade. A única certeza que tenho é uma dúvida, aliás, várias.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Aluguel barato

Fui convidada pelo meu sol para acompanhá-lo em alguns filmes da 33ª Mostra Internacional de Cinema. Um privilégio... Ontem, OS INQUILINOS, de Sergio Bianchi, conta a vida de uma família da periferia da zona sul de São Paulo. Contrastes que dispensam comentários, a concentração nos valores de um bom ser humano e alguns vizinhos inconvenientes. Eles incomodaram com o aval de uma ex-esposa que fez da vida do marido o que fez com um pano sujo. Fica a sugestão.
*****
E o que me incomodou foi lembrar de outros inquilinos. Alguns na embaixada brasileira, outros escondidos nas cidades maravilhosas brasileiras, tem aqueles que alugamos finais de semana, outros que ocupam o coração. Entram, fazem uma arruaça, deixam entulhos e quando saem acham que fizeram a obrigação. Os falsos amigos aproveitam disso, os falsos amores se aproveitam disso.

Lembranças

Milhares de pessoas vão limpar os túmulos, ascender velas e comprar flores. Uns com melancolia outros com profunda saudade. Alguns serão lembrados e outros esquecidos. O dia ainda é muito enigmático. Aliás, inexplicável ainda é a reação à morte. Pior que é a única certeza desde que nascemos. O desapego material é necessário para sofrer menos, mas nunca no coração.
Meu pai, avó materna, meus avós paternos sempre estão comigo. Penso neles sempre e sempre fico com a sensação que a gente curte muito pouco enquanto estamos juntos. As vezes por falta de diálogo, falta de tempo, falta de querer, ou falta de oportunidade. E depois é a falta que nos faz falta. Vamos pensar nos amigos que foram e abraçar os que estão fisicamente conosco. Ainda não é o momento deles.

domingo, 1 de novembro de 2009

Benção sonora

Novembro trouxe um tema tão simples e interessante como os outros, mas em um domingo que realmente eu precisava de uma brisa... Vida Simples, traz no título É MELHOR SER ALEGRE QUE SER TRISTE, e no conteúdo dados assustadores. Até 2020, a "tristeza" que atende por depressão, associada a outras doenças, ocupará o segundo lugar das causas de morte, atrás apenas dos males coronários. Enfim, mais um texto que tenta ajudar o ser que vive de comparações, julgamentos e cobranças 24 x 7.Aí, entre outras boa reportagens, conheço o filósofo frances OLLIVIER POURRIOL. Ele mistura cinema com filosofia.
(...) E, se você se mantem só no abstrato, você não vive. Muitas pessoas que fazem filosofia acabam lendo o tempo todo, entendendo as coisas, mas não vivendo. Então o que você descobre quando alcança os filósofos é que eles não sabem muito sobre a vida. A verdadeira resposta é que não há resposta para tudo. Quando você entende isso, começa a aprecisar mais a vida. Comprende que não é preciso pensar o tempo todo. Quando você assiste a um filme, vc não pensa o tempo todo. A reação a energia e a beleza vem antes, depois vem o pensamento.

Aí veio a brisa...Impossível não lembrar de Samba da Bênção, de Vinicius de Moraes e Baden Powell . A composição da dupla na voz de Maria Bethânia é minha preferida !


É melhor ser alegre que ser triste

Alegria é a melhor coisa que existe

É assim como a luz no coração


Mas pra fazer um samba com beleza

É preciso um bocado de tristeza

É preciso um bocado de tristeza

Senão, não se faz um samba não


Fazer samba não é contar piada

E quem faz samba assim não é de nada

O bom samba é uma forma de oração


Porque o samba é a tristeza que balança

E a tristeza tem sempre uma esperança

A tristeza tem sempre uma esperança

De um dia não ser mais triste não


Ponha um pouco de amor numa cadência

E vai ver que ninguém no mundo vence

A beleza que tem um samba, não


Porque o samba nasceu lá na Bahia

E se hoje ele é branco na poesia

Se hoje ele é branco na poesia

Ele é negro demais no coração

O Problema é um Tônico para o Ego - Osho

Texto enviado pela irmã Roseane Martins de Mello. Sensacional !


O ego não se sente bem, à vontade, com montículos; ele quer montanhas. Mesmo se isso for uma miséria, não deve ser um montículo, deve ser um Everest. Mesmo que isso seja miserável, o ego não quer ser ordinariamente miserável; ele quer ser extraordinariamente miserável.
As pessoas continuam sempre criando grandes problemas do nada. Eu tenho conversado com milhares de pessoas sobre os problemas delas e realmente não encontrei ainda um problema real! Todos os problemas são falsos – você os cria porque sem problemas você se sente vazio. Não há nada para fazer, nada com o que lutar, nenhum lugar para ir. As pessoas vão de um guru para outro, de um mestre para outro, de um psicanalista para outro, de um grupo de encontros para outro, porque se não forem, eles se sentem vazios e subitamente, sentem que a vida é insignificante. Você cria os problemas para que você possa sentir que a vida é um grande trabalho, um crescimento, e que você precisa lutar muito.

O ego só pode existir quando existe luta, lembre-se – quando ele luta. E se lhe digo, ‘Mate três moscas e você ficará iluminado, você não irá acreditar em mim. Você dirá, ‘Três moscas? Isso não parece muito. E ficarei iluminado? Isso não parece ser inverossímil. Se eu disser que você terá que matar setecentos leões, é claro que isso parece mais! Quanto maior o problema maior o desafio...E com o desafio surge seu ego, ele paira nas alturas. Você cria os problemas. Eles não existem.
Os padres, os psicanalistas e os gurus – eles estão felizes porque todo o negócio deles existe por sua causa. Se você não criar montículos do nada e você não transformar seus montículos em montanhas, qual o sentido de gurus lhe ajudarem? Primeiro você precisa estar na condição de ser auxiliado.Os mestres verdadeiros dizem outra coisa. Eles dizem, “Por favor, vejam o que você está fazendo, que bobagem você está fazendo. Primeiro você cria um problema, depois você vai em busca de uma solução. Apenas veja que você está criando o problema, exatamente no princípio, quando você estiver criando o problema, essa é a solução – não o crie!” Mas isso não lhe agradará porque então você está subitamente voltando para si mesmo. Nada para fazer? Nada de iluminação? Nada de satori? Nada de samadhi? E você está profundamente cansado, vazio, tentando preencher-se com qualquer coisa.
Você não tem nenhum problema; somente isso precisa ser entendido. Agora mesmo você pode deixar todos os problemas porque eles são criações suas. Dê outra olhada nos seus problemas: quanto mais profundamente você olhar, menores eles parecerão. Continue olhando para eles e aos poucos, eles começarão a desaparecer. Prossiga olhando e subitamente você descobrirá que há uma vacuidade... Uma bela vacuidade lhe cerca. Nada para fazer, nada para ser, porque você já é isso.Iluminação não é algo a ser alcançado, é somente para ser vivido. Quando digo que alcancei a iluminação, estou simplesmente dizendo que decidi viver isso. Já chega! E desde então tenho vivido-a. É uma decisão de que agora toda essa besteira de criar problemas e encontrar soluções acabou.Toda essa bobagem é um jogo que você está jogando consigo mesmo: você mesmo está escondendo e você mesmo está procurando, você é ambas as partes. E vocês sabem disso! Eis porque quando digo isso vocês riem, dão risadas. Não estou falando sobre alguma coisa ridícula; vocês o compreendem. Vocês estão rindo de si mesmos. Apenas observem a si mesmos rindo, apenas olhem para seus próprios sorrisos; vocês o compreendem! Isso tem que ser assim porque é seu próprio jogo: você está escondendo e esperando que você mesmo seja capaz de procurar e encontrar a si mesmo.Você pode encontrar a si mesmo agora porque é você que está escondendo. Eis porque os mestres Zen prosseguem batendo. Sempre quando alguém chega e diz, “Eu gostaria de ser um Buda”, o mestre fica muito zangado. Porque ele está pedindo uma bobagem, ele é um Buda. Se Buda chegar para mim e perguntar como ser um Buda, que devo fazer? Irei bater na cabeça dele. “A quem você pensa que está enganando? Você é um Buda!”Não crie problemas desnecessários para você. E o entendimento descerá sobre você se você observar como você torna um problema cada vez maior, como você o engendra, e como você ajuda a roda a girar cada vez mais rápido. Assim de repente, você está no topo da sua miséria e você está necessitando da simpatia do mundo inteiro.

O ego precisa de problemas. Se você compreender isso, na própria compreensão as montanhas viram montículos novamente, e então os montículos também desaparecem. Subitamente há vacuidade, pura vacuidade por toda parte. Isso é tudo o que a iluminação é – um profundo entendimento de que problemas não existem.

Assim, sem nenhum problema para resolver, o que você vai fazer? Imediatamente você começa a viver. Você irá comer, irá dormir, irá amar, irá bater papo, irá cantar, irá dançar. O que tem mais para fazer? Você se tornou um deus, você começou a viver!Se as pessoas pudessem dançar um pouco mais, cantar um pouco mais, serem um pouco mais malucas, a energia delas estaria fluindo mais, e os problemas delas irão desaparecer aos poucos. Daí eu insistir tanto na dança. Dance até o orgasmo; deixe que toda a energia se torne dança e subitamente, você verá que você não tem nenhuma cabeça. A energia presa na cabeça se move ao redor, criando belos padrões, pinturas, movimentos. E quando você dança chega um momento que o seu corpo não é mais uma coisa rígida, se torna flexível, fluido. Quando você dança chega um momento quando sua fronteira não está mais tão clara; você se funde e se dissolve com o cosmos, as fronteiras ficam misturadas. Assim você não cria qualquer problema.Viva, dance, coma, durma, faça as coisas tão totalmente quanto possível. E lembre-se sempre: quando você flagrar a si mesmo criando algum problema, dê o fora dele, imediatamente.
Osho, Extraído de: Ancient Music in the Pines

*****
Em tempo : O texto me fez lembrar da edição 84 da revista Vida Simples. Sobre vaidade, a irma caçula do ego. Observar nossos pensamentos e atos é um bom começo.

Só alimentar não basta.

NEUROCIÊNCIA -www1.folha.uol.com.br/fsp/equilibrio/inde15102009.htm
[...]O cérebro do bebê dá mais valor a quem o embala e aconchega do que a quem o alimenta.

Interessado em entender o que é a figura da mãe para um bebê, no final dos anos 1950 o psicólogo Harry Harlow separou bebês macacos de suas mães logo após o nascimento e deu-lhes todos os cuidados médicos e nutrição. Mas os animais, criados em isolamento, morriam.Notando o apego que os filhotes criavam aos panos que forravam a gaiola e às protuberâncias metálicas de algumas delas, Harlow criou um experimento que fez história: passou a criar os bebês macacos na presença de um manequim de arame, aquecido e com rosto, que oferecia uma mamadeira, e de outro, igualmente aquecido e com rosto, que não provia alimento, mas era recoberto de toalha macia. Resultado: os animais passavam o tempo necessário para se alimentar na "mãe nutridora" e prontamente corriam para a "mãe macia".Que, veja bem, não dava carinho -mas aceitava as carícias do filhote, que passava boa parte do dia explorando seu "rosto" e o tecido de seu "corpo". Era para ela, e não para a "mãe nutridora", que os animais corriam quando amedrontados; era ela, e não a outra, cuja presença tornava os animais seguros para brincar com outros macacos.

O experimento de Harlow soa cruel hoje, mas, na época, apenas repetia a norma de tantos orfanatos e hospitais, seguida por muitas mães, de deixar bebês sozinhos em seus leitos, segurando-os somente para alimentá-los.Nas instituições, mesmo se criados sob condições médicas perfeitamente controladas, os bebês morriam -como os filhotes sem mãe-manequim de Harlow. Somente nos anos 1980, quando a norte-americana Tiffany Field e sua equipe começaram a massagear sistematicamente bebês prematuros em unidades neonatais, com resultados maravilhosos, constatou-se o maior dos poderes da mãe: dar carinho a seus filhotes.
Com um sistema de nervos especializados em detectar carícias -a demonstração mais inequívoca de não estar sozinho no mundo-, o cérebro do bebê dá mais valor a quem o embala e aconchega do que a quem o alimenta.

No Canadá, o neurocientista Michael Meaney hoje explica por que: o cérebro de quem recebe carinhos maternos muda sua resposta ao estresse pelo resto da vida e gera um indivíduo mais tranquilo, saudável -e propenso a passar o carinho adiante. Pouco importa se a mãe que acaricia é biológica ou adotiva. Se você recebeu carinho, você teve mãe - seu cérebro se lembrará disso (e dela) pelo resto da vida.

SUZANA HERCULANO-HOUZEL, neurocientista, é professora da UFRJ e autora do livro "Pílulas de Neurociência para uma Vida Melhor" (ed. Sextante) e do blog "A Neurocientista de Plantão" .
*****
Em tempo : Ainda há dúvida de como um ato de carinho pode transformar uma vida ? Pensando nos adultos cronológicos, percebe como todos estão procurando apenas o alimento para sobreviver, mas tornado se um boneco a pilha ? O resultado disso não é bom...

A dor, o carater

Texto enviado pela irmã Ana Lucia Brazil Camargo.

Autora: Maria Aparecida S. Fontana

Era uma vez uma alma que logo após ser criada, lá no começo da eternidade, resolveu nascer para a vida. Achou um corpo, vestiu, e nasceu. Começou a confusão! Como um bebê, não sabia muita coisa a respeito da vida e do mundo, mas tinha que sobreviver. Precisava tomar decisões, fazer escolhas, enfim, tinha que caminhar e crescer. Os obstáculos foram aparecendo e ela, esta alma viajante, foi fazendo escolhas, decidindo, sempre arrumando saídas para sobreviver. Por erros e acertos foi traçando um modo de ser.

Mas, ao longo da eternidade, as situações foram mudando. O que ela havia decidido ontem, já não fazia mais sentido hoje, mas estava guardado em seu registro de memória sobrevivente que aquela era a saída para determinada situação. Experimenta a mesma maneira de ser e não dá certo. Uma dor! Uma tentativa errada! E agora, o que fazer? Mas parece que alguém já esperava esta confusão toda e deixou também aparecer nesta história, uma personagem que poderia ajudar esta pobre alma perdida, a arrumar tudo isto.

A magia de voltar no tempo e poder lembrar onde, como e porque ela havia tomado aquela decisão de ser daquele jeito. Por que agora aquilo parecia tão errado, se em outras situações ela já havia lançado mão daquele recurso para sobreviver, e o que era pior, havia dado certo!?!

Que confusão!

Aquela viagem que parecia tão excitante estava se tornando um pesadelo. O que estava errado? Agora havia dor, sofrimento, conflitos, em algum lugar havia sido cometido um erro. Onde? Como saber? Como consertar? Quem poderia ajudá-la? Aí aparece o terapeuta de vida passada, através de uma volta no tempo, uma regressão de memória ajuda esta alma em conflito a entender suas decisões erradas. Parece que todo seu modo de ser hoje, foi decidido ontem. Um pequeno problema de tempo. Aquela decisão de ser daquele jeito, parece então estar fora de tempo. O relógio da alma não está coincidindo com o relógio da vida atual. Aquele ser não é, em essência, aquilo que parece estar sendo naquele momento. Ao perceber isto, a alma pode continuar sua trajetória, provavelmente com grandes possibilidades de ser feliz nesta jornada pela eternidade.
Para um terapeuta de vida passada, acostumado a trabalhar com este dueto, a dor e o caráter, é clara a relação entre estes dois elementos. Quem determinou o que primeiro? A dor delineou um caráter apresentado hoje ou o caráter apresentado não deu certo e determinou a dor de hoje? Parece que esta questão, pode ser puramente filosófica. Mas o que realmente parece importante é poder ajudar a desfazer os nós que atam erradamente este dueto e libertar esta alma da dor e do sofrimento que a estão impedindo de ser feliz e corresponder à sua real essência criativa que parece ser uma coisa boa e saudável, criada para viver de maneira correta e ser feliz.
O terapeuta de vida passada usa a dor para entender o caráter de hoje. Como se aquele sofrimento, aquele comportamento, apresentado e externado agora, fosse um caminho de retorno a ser percorrido, de volta, buscando a origem de determinadas decisões, tomadas no passado em algum lugar onde aquilo tivesse acontecido pela primeira vez, e onde naquela situação temporal e histórica, vivida então. Como ser um brutamontes, usar a clara e arrastar a mulher pelos cabelos, fizesse sentido na idade da pedra, mas hoje, na era do computador e da informática, não daria muito certo agir assim. O que parece estar errado é continuar sendo assim hoje, quando o momento histórico já mudou e precisamos também mudar nosso jeito de ser, precisamos mudar nossos padrões de comportamento. Então, a dor é conseqüência de uma maneira de agir errada.

Que alívio!! Posso mudar meu comportamento e continuar a trajetória como uma alma viajante, em busca da felicidade. Que bom que alguém colocou ao meu lado, nesta viagem, outros personagens, curadores de alma, que trazem com eles alguns segredos mágicos que podem transformar maus momentos em ferramentas para crescimento e aprendizado!!
*****
Em tempo: Separar dentro de si a dor e o carater é uma obrigação que deve fluir como se fosse uma brincadeira. Faço disso, pelo menos tento, um compromisso diário.