" Cada pessoa se alimenta do que lê, do que escuta, do que vê, de tudo que recebe do mundo e incorpora a si, assim como absorve um perfume. E se torna um pouco daquilo que fala, que ouve e toca. Se suas idéias e pensamentos são partes construtivas do seu ser, cada um doa seus conteúdos ao mundo ao expressá-los através de suas palavras e gestos ".

I Ching --- Livro : Medicina Integrativa - A cura pelo equilíbrio - Paulo de Tarso Lima.



quarta-feira, 30 de setembro de 2009

"sem limites "

Acesse o portal Bandnewstv.com.br e veja os capítulos da série " SEM LIMITES "

domingo, 27 de setembro de 2009

SEM LIMITES

A partir desta segunda-feira, 27, o JORNAL DA NOITE exibe a série especial “SEM LIMITES”. São 30 milhões de brasileiros com algum tipo de deficiência. É toda Austrália, ou 2 vezes a população de Portugal...

A série aborda alguns dos principais assuntos de pessoas que nasceram ou que adquiriram deficiências. Serão 4 capítulos. Doenças não cuidadas que causam cegueira, acidentes domésticos, de trânsito.
Segunda: Atitude (como interagir e perceber cegos, surdos ou cadeirantes)
Terça: Acesso (ruas, vagas de estacionamento e transporte público).

Quarta: Comunicação (equipamento desenvolvido em Curitiba que identifica as cores das roupas, cardápios e a magia do Braile). QUINTA: Educação (estímulos e apoio secundário a escolas regulares)

Tenho certeza que você vai compreender melhor e enxerga-los. "TEM COISAS QUE A GENTE SÓ ESCUTA VENDO”.

Assista e se inspire, ou visite o site Bandnewstv.com.br e veja outra versão do vídeo( a série também ficará hospedada no portal ).

http://bandnewstv.band.com.br/conteudo.asp?ID=192927&CNL=20


video


Para saber mais sobre o assunto sugiro 2 livros que nos deram asas :

“Feche os olhos para ver melhor” – Os limites dos sentidos e os sentidos dos limites, do músico Sergio Sá.

Questão de limites
Limites são medidas subjetivas, fruto de nosso próprio julgamento.
Limitações seriam imposições objetivas, impedimentos com os quais temos de lidar independentemente dos critérios que aplicamos sobre nós mesmos.
Limitações geram limites, mas a recíproca nem sempre é verdadeira.

“ Vai encarar ? A nação quase invisível de pessoas com deficiência", de Claudia Matarazzo com consultoria de Mara Gabrilli

EM TEMPO: Eu não teria feito esse trabalho sem a dedicação de Pedro Mota, meu querido e atencioso editor, que abraçou os personagens e a causa. E do apoio da nossa amada diretora Vanessa Kalil que nos incentivou a cada limite imposto.

E meu muitíssimo obrigada a Sueli Marques, nossa valente pauteira que descobriu todos os personagens desta série, a todos os cinegrafistas que participaram de 1 mês de produção : Nivaldo Lima, André Zoratto, Josenildo Tavares, Anísio Moraes Cesar Bartanha, Cleber Kanay/Celso de Marqui, ao editor Sergio Pazotto e ao Allan Fonseca que fez nossas artes !

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

25 DE SETEMBRO

Hoje é o dia !!!! Dia de celebrar o aniversário de um veículo de comunicação e de sonhos..... Não consigo citar outro exemplo que tenha ultrapassado todas as inovaçoes tecnologicas com tanta elegancia. Quantas coisas foram susbtituidas, alteradas, atualizadas, mas o radio continua o mesmo ! Provocando as mesmas sensações e causando a mesma paixão.

O texto abaixo foi feito para as rádios do Grupo Bandeirantes. Hugo Alexander , nosso produtor, conseguiu me surpreender mais uma vez.


Hoje é dia do Rádio.
Este meio de comunicação, criado lá atrás, em outro século, continua atual, se recriando todos os dias.
Ocupando espaços.
Era um móvel na sala. Depois, portátil, andou pela casa. Ganhou mobilidade com pilhas e baterias e alçou novos vôos. Entrou no carro e foi em frente.
Aí o século virou e o rádio entrou novamente pela casa. Desta vez, com cabos, fibra ótica, wifi... Pulsando em qualquer computador conectado. O limite das ondas sonoras se rompeu e o rádio correu o planeta. Zyks, Zyds, AMs, Fms... o rádio assumiu também a sigla: wwwA cada novo invento o rádio se reinventa. Virou diferencial em celulares, mp3, iphones, itouchs. Não tem lugar onde o rádio não entre. Pra alcançar você, onde quer que você esteja.
Num mundo cada vez mais complexo, em que indivíduos são exigidos ao máximo realizando várias ações ao mesmo tempo, o rádio parece que foi idealizado justamente para esta época.Um meio de comunicação que permite que você seja multitarefa, multifunção. Afinal, o Rádio não exige que você largue tudo por ele.
O rádio é Capaz de transformar uma música em sucesso. Capaz espalhar uma notícia com velocidade inigualável. Capaz de ajudar você no trânsito, ou com as contas.....

Capaz de fazer com que as pessoas se ajudem. Capaz de aproximar.Chamar a razão. Provocar emoção.Potencializar cada uma destas qualidades do rádio é o que o Grupo Bandeirantes de Rádio faz todos os dias.
Porque consegue, com suas emissoras, chegar a públicos diversos, de gostos variados, de estilos de vida diferentes - com música, diversão, jornalismo e prestação de serviços.
Audiência que ninguém mais alcança.
Nesse mesmo instante, você e milhões de pessoas ouvem esta mensagem navegando na internet ou surfando nas ondas do rádio pela Bandeirantes em AM 840, ou no FM em 90,9. Na Band FM em 96,1. Você ouve na Nativa em 95,3. E na Mitsubishi FM em 92,5.No meio do dial em 96,9, na Bandnews FM ou no meio do trânsito em 92,1 na Rádio Sulamérica Trânsito.
O Grupo Bandeirantes sabe que, venha o que vier no futuro, o rádio estará lá. Rádio. Todo mundo ouve.
25 de setembro. Dia do Rádio.

Em tempo : Quanto mais eu faço TV, mais eu sei que meu lugar é no rádio !


quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Maratona Pão de Açucar - SP

Não busquei meu melhor tempo, nem participei do revezamento. Mas, quem mais ganhou com a colaboração na equipe da Rádio Bandeirantes, com certeza, euzinha..

Foi muito interessante passar por todas as etapas de quem correria, mas, para ficar, na verdade, parada, na grade de troca, tentando ver a chegada dos corredores que estava ajudando e tentando também amenizar a ansiedade de quem esperava a pulseira magnética e partir para 4 ou 5,6 km....

Eu relembrei alguns hábitos ruins, senti na pele como é bom fazer coisas leves, diferentes, simples, pude apenas observar as fisionomias, sem me cobrar a mesma tensão. Estava ali brincando, sentindo a vibração de muitas pessoas, animadas, sorridentes e que queriam apenas terminar percurso...
Eu comecei o meu naquela manhã, até a próxima;
Nesta foto, todos os corredores + a minha parceira de organizaçao, Adriana Cimino ( blusa branca )Eu, Renata, Gustavo Kelli, Felipe Bueno, Jaqueline Brasil, Sergio Patrick, Barbara Teline e Ronald Gimenez.

Deixar fluir

Se alguém hoje lhe bloquear a porta, não gaste sua energia com confronto, procure as janelas.

Lembre-se da sabedoria da água:
'Ela nunca discute com seus obstáculos, ela simplesmente os contorna'.
Mensagem enviada pela amiga Amanda Françoso.

Agora, não dá para colocar a culpa na crise...

Um ano após a quebra do banco de investimentos Lemann Brothers e o efeito dominó que atingiu a sistema financeiro mundial, o Brasil comemora as oportunidades criadas por empresas que souberam aproveitar e revisar os processos de produção. Entrevista com o economista Luiz Carlos Mendonça. Veja a reportagem ou acesse
http://bandnewstv.band.com.br/conteudo.asp?ID=186214&CNL=20

video

Imagens : Cleber Kanai /Celso De Marqui
Edição : Denise Belintani

Música boa...

Palavras não falam
Eu não escrevo pra ninguém e nem pra fazer música
E nem pra preencher o branco dessa página linda
Eu me entendo escrevendo e vejo tudo sem vaidade
Só tem eu e esse branco e ele me mostra o que eu não sei
E me faz ver o que não tem palavra
Por mais que eu tente, são só palavras
Por mais que eu me mate, são só palavras
Eu não escrevo pra ninguém e nem pra fazer música
E nem pra preencher o branco dessa página linda
Eu me entendo escrevendo e vejo tudo sem vaidade
Só tem eu e esse branco e ele me mostra o que eu não sei
E me faz ver o que não tem palavra
Por mais que eu tente, são só palavras
Por mais que eu me mate, são só palavras
Eu me entendo escrevendo e vejo tudo sem vaidade
Só tem eu e esse branco e ele me mostra o que eu não sei
E me faz ver o que não tem palavra
Por mais que eu tente, são só palavras
Por mais que eu me mate, são só palavras


Faixa do cd "Peixes, Pássaros e Pessoas" . Segundo CD solo da cantora paulista Mariana Aydar, lançado em 2009.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

AO BMW...

Mensagem enviada pela queridíssima amiga Luciana Lacerda

"Quando fazemos tudo para que nos amem e não conseguimos, resta-nos um último recurso: não fazer mais nada. Por isso, digo, quando não obtivermos o amor, o afeto ou a ternura que havíamos solicitado, melhor será desistirmos e procurar mais adiante os sentimentos que nos negaram. Não fazer esforços inúteis, pois o amor nasce, ou não, espontaneamente, mas nunca por força de imposição. Às vezes, é inútil esforçar-se demais, nada se consegue; outras vezes, nada damos e o amor se rende aos nossos pés. Os sentimentos são sempre uma surpresa. Nunca foram uma caridade mendigada, uma compaixão ou um favor concedido. Quase sempre amamos a quem nos ama mal, e desprezamos quem melhor nos quer. Assim, repito, quando tivermos feito tudo para conseguir um amor, e falhado, resta-nos um só caminho...o de mais nada fazer." Clarice Lispector

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Um meio ou uma desculpa

Um meio ou uma desculpa
(Roberto Shinyashiki)

Não conheço ninguém que conseguiu realizar seu sonho, sem sacrificar feriados e domingos pelo menos uma centena de vezes. Da mesma forma, se você quiser construir uma relação amiga com seus filhos, terá que se dedicar a isso, superar o cansaço, arrumar tempo para ficar com eles, deixar de lado o orgulho e o comodismo.

Se quiser um casamento gratificante, terá que investir tempo, energia e sentimentos nesse objetivo. O sucesso é construído à noite!

Durante o dia você faz o que todos fazem. Mas, para obter um resultado diferente da maioria, você tem que ser especial. Se fizer igual a todo mundo, obterá os mesmos resultados. Não se compare à maioria, pois, infelizmente ela não é modelo de sucesso.

Se você quiser atingir uma meta especial, terá que estudar no horário em que os outros estão tomando chopp com batatas fritas. Terá de planejar, enquanto os outros permanecem à frente da televisão. Terá de trabalhar enquanto os outros tomam Sol à beira da piscina.

O mundo não está nem aí, se você está cansado ou triste, ele não para.

E quem vive lamentando ou reclamando da vida nunca vai conseguir chegar em lugar nenhum. A realização de um sonho depende de dedicação. Há muita gente que espera que o sonho se realize por mágica, mas toda mágica é ilusão, e a ilusão não tira ninguém de onde está, em verdade a ilusão é combustível dos perdedores.

Quem quer fazer alguma coisa, encontra um MEIO. Quem não quer fazer nada, encontra uma DESCULPA.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Especial Hormônios

O Jornal da Noite exibiu a série de matérias especiais sobre hormônios.

TPM + MENOPAUSA + DAEM ( EX ANDROPAUSA )

TPM !

Entrevista com o Dr. Eliezer Berenstein, autor do livro : A INTELIGÊNCIA HORMONAL DA MULHER.

video

MENOPAUSA ....

Entrevista com Dra. Marcia Soares Telles, médica com especialização em reposição hormonal bioidêntica.

video

DAEM - novo nome para andropausa. Entrevista com especialistas.

video

Pauta : Vanessa Kalil + Izabella Camargo
Edição : Pedro Motta
Artes : Alan Fonseca
Pós produção : Yoshio Tanaka + Fabio Balek
Imagens : Cesar Bartanha

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Minha casa verde


Apresento a vocês um homem de 41 anos. Alegre, que compreende absolutamente todas as palavras, gentil, esforçado, carinhoso! Ele é o autor do livro MINHA CASA VERDE, publicado em 2007 pela Bartira Gráfica. O livro já está na 2 ª edição e já vem com um autógrafo carimbado na primeira página. Carimbo porque Carlos Eduardo dos Anjos Souza não escreve, não sabe ler, não sabe comer sozinho, mas Dudu, como é carinhosamente chamado por todos os amigos da Associação Cruz Verde, sabe sonhar. E com a ajuda de sua fonoaudióloga Carla Patrícia ele realizou um lindo sonho. Depois de todas as segundas-feiras de 2 anos, eles publicaram a história desse homem que nasceu com paralisia cerebral grave. São 50 páginas de doçura, gratidão e histórias engraçadas. São paginas de uma vida que não é limitada.


http://www.cruzverde.org.br/

coisa boa da infância

Muitas pessoas já me ouviram dizer sobre o gosto do sorvete de pistache... o gosto é da minha infância... Eu, minha mãe e meus queridos tios Lauro e Nadir passávamos as férias na praias do Paraná. Meu tio, sempre presente, sempre meu pai. Me ensinou a não ter medo das ondas, mesmo quando ele se assustava com elas. Fazia um buraco enorme para uma criança de 5 anos e assim, a cada ano, eu esperava por tudo aquilo. Mas, quando comecei a entender o significado das coisas comecei a associar situações a gostos. O sorvete de pistache tem gosto de férias, de família, de sol, areia no biquíni e tudo isso eu consigo resgatar em algumas colheradas... Mas porque isso agora ? Semana passada, quem eu encontro no Instituto Dorina Nowil ? Minha infância... Mas de outra maneira... Reencontrei o meu querido palhaço... O mesmo em que eu jogava o restinho de casquinha do sorvete de pistache. Fiquei tão feliz! Sentei a sua frente e ví aquela menina pequena, cabelos cacheados, perguntando: porque um lixo com cara de palhaço? Coisas de criança.
Há períodos calmos e pacíficos em todo relacionamento, mas estes são exceções, não porque nossa humanidade deva condenar-se a sofrer as penúrias de relacionar-se, mas porque ajustar as diferenças dá trabalho mesmo. Quiroga.

cavalgada noturna + lua cheia

Um jeito de combater o estresse, experimentar novas sensações. Entrar em contato com a natureza. A cavalgada noturna em Itu, em noites de lua-cheia,é uma experiencia maravilhosa !
João Pacheco abre o casarão de sua família, da epoca do Bandeirantes, para receber pessoas de todos os lugares, idades e expectativas.

Segue uma versão menor em :http://bandnewstv.band.com.br/conteudo.asp?ID=180859&CNL=20
ou assista



video

+ INFOS : www.ruralturturismo.blogspot.com

Imagens : Kleber Kanay/ Celso De Marqui

Pauta : Daniella Carlini + Gisela Bello

Edição : Even Sacchi/ Denise Belintani

Pós produçao : Fabio Balek

domingo, 6 de setembro de 2009

Percebe o enigma que somos?

Izabella: pense muito com a razão, mas faça delicadamente com emoção.” Ouvimos isso uma dezena de vezes com formatos diferenciados em diversos momentos da vida. A teoria é óbvia, a prática nem tanto. Parece simples, mas então tente. A frase dita pelo meu querido terapeuta, Jurandir Jantalia, é repetida como mantra, todos os dias. Porque, a cada dia, a razão vai tomando forma. Adulta. E isso não tem nada a ver com idade.

Pensar com a razão envolve conhecimento. E são as experiências que formam seu saber. Não basta ler dezenas de livros, fazer viagens transcendentais.
A verdade de cada um não se corrompe. Consciência tranqüila tem um valor. O valor da liberdade. Da sua liberdade. Se já fez sua parte, espere. Espere o universo, a luz, a brisa fresca que trará sua lucidez. Espere o que para você é importante.

O desafio de conhecer a pura razão, nua, fria ou não, é não se influenciar por situações, abraços, sorrisos, cheiros, notícias, até o balançar das árvores, que às vezes interpretamos como sinais. A interpretação de um sinal pode mudar de acordo com nossa memória, carência gerada por hormônios, ou carência de amor próprio. Hoje algo pode ser absolutamente irrefutável, amanhã não. Razão, muito prazer, eu sei quem eu sou.

Preciso antecipar que estou desenvolvendo um especial sobre acessibilidade e educação para pessoas com deficiências. Na chuvosa sexta, eu e meu anjo do dia chamado André Zoratto, passamos 5 horas no instituto Dorina Nowil em São Paulo.
Em tempo: acho que há uns 8 anos eu esperava por isso.
Durante a entrevista com uma senhora maquiada, muito bem arrumada e disposta, aos 90 anos, a repetir a repórter que perguntava sobre os sentimentos e sentidos. Aproximei meu coração e apurei meus ouvidos.
....No corpo, o que a falta de um dos sentidos provoca nos outros ? Ela diz: querida, não adianta ver o mundo apenas com os olhos. Temos que percebê-lo e isso é de cada um. Todos podem sentir, mas nem todos podem enxergar. Todos sobrevivem. Os que enxergam podem se tornar medíocres. Os que não enxergam também. Uma deficiência aparentemente pode limitar ou abranger.
Só que algumas pessoas, mesmo as que enxergam, não sabem usar a sua percepção. Porque para isso precisam de esforço. Aí, lembrei do que meu amigo espiritual Luiz Backi disse: a visão consome 80 % da energia do corpo.

sábado, 5 de setembro de 2009

Ritmo

Ritmo...

Em um salão amplo, bonito, com um jardim externo que desfila pelas janelas dos olhos ou de quem as percebe, uma clássica banda está tocando uma belíssima e romântica música. Casais dançam elegantemente. Mas, existe um, que se esforça para entrar no ritmo. Não da música, mas do outro. Ela ri, faz de conta que está tudo bem. Ele se irrita com o esforço dela para ensiná-lo. Já que ele não quer dançar aquela música. Na verdade eles não tem o mesmo ritmo. E é mais fácil desistir, ficar sentado, admirando os rodopios alheios ao invés de procurar outra pessoa para dançar, ou viver, com o mesmo ritmo. Ou, o esforço mútuo. Sem cobranças, de que o outro “tem" que acertar o passo a qualquer custo. Não existe a qualquer custo. Uma pessoa faz o que alma permite para que seja feliz. Se ela não quer, ou acha que a verdade, os desejos do outro não tem valor, não adianta. O que acontece em uma dança reflete a vida. Nos esforçamos tanto para entrar no ritmo de outra pessoa e vamos desrespeitando o nosso. No começo tudo é graça. Quem sabe também você não aprende a gostar do que o outro está te oferecendo, tentando ensinar. Tudo pode acontecer desde que "essências" não sejam violadas. Quem sabe...Surpresas podem surgir, novos hábitos... Mas, se sua alma pede outra coisa, situação ou ritmo, por favor, dê a ela.

Vivemos desejos da alma e do ego. Quando realizamos desejos do ego, aparentemente ficamos satisfeitos, mas depois de um tempo... Não há verdade que resista. E para realizar os desejos do ego, os da alma ficam em segundo plano, não são prioridades. Até que um belo dia você simplesmente chora. Derrama lágrimas de amor próprio. Como você abandona sua alma para realizar desejos fugazes? Como não amar a pessoa mais importante de sua vida que é você? O compromisso ideal, a leitura que te interessa, o assunto mais banal e que para você é o mais importante...


Saber respeitar o desejo do outro é fundamental, mas se enquadrar nele, anulando o próprio ou escondendo silenciosamente o seu, nem pensar. Depois de um tempo é melhor recomeçar. Como? Como a natureza. Tudo tem um ciclo de vitalidade. Por exemplo: se percebemos que uma planta não está se adaptando bem em um canto da casa, não adianta deixá-la lá apenas porque achamos que fica bem com a decoração. Ela vai perder o brilho, as folhas, tentando te dizer: por favor, me tire daqui. Você busca respostas? Valorize-se, dê carinho e atenção aos seus desejos, pensamentos. Ouça o que seu coração e corpo dizem. Fique em silencio. Fique em paz.


Em tempo: O filme Dança comigo é espetacular. Inclusive, mostra como nos enganamos com o que parece estar acontecendo. São julgamentos. Todos tem certeza que ele está apaixonado pela professora, a charmosíssima professora Jenifer Lopes. Na verdade ele estava se reaproximando da esposa.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

A Revolução chamada êxtase


Osho, extraído de: "My Way: The Way of the White Cloud"
Texto enviado pela querida amiga e irmã espiritual Roseane !
IMAGEM COPIADA DO BLOG http://chacompalavras.wordpress.com

Como é que geralmente escolhemos ser infelizes?

Como é que não percebemos que isso é uma escolha?
Primeira Parte :Isso tem que ser considerado bem profundamente, e isso não é teórico – diz respeito a você. É assim que todo mundo está se comportando... Sempre escolhendo errado, sempre escolhendo o triste, o depressivo, o miserável. Deve haver razões profundas para isso, e há.

Primeira coisa: da maneira como os seres humanos são criados desempenha um papel bem definido nisso Se você estiver infeliz você ganha algo com isso, você sempre ganha. Se você estiver feliz você sempre perde. Desde o princípio uma criança atenta começa a sentir a diferença. Sempre quando ela está infeliz todos são simpáticos com ela, ela ganha simpatia. Todo mundo tenta ser amável com ela, ela ganha amor. E mais ainda: sempre quando ela está infeliz todos são atenciosos com ela, ela ganha atenção. Atenção funciona como alimento para o ego, um estimulante muito alcoólico. Isso lhe dá energia, você sente que é alguém. Daí tanta necessidade, tanto desejo de receber atenção.Se todos estão olhando para você, você se torna importante. Se ninguém está olhando para você, você sente como se você não estivesse lá, você não é mais, você é um não-ser. Pessoas olhando para você, pessoas dando atenção a você, isso lhe dá energia. O ego existe no relacionamento. Quanto mais atenção às pessoas lhe derem, mais ego você ganha. Se ninguém olha para você, o ego se dissolve. Se todos se esquecerem completamente de você, como é que o ego pode existir? Como você pode sentir que você é? Daí a necessidade de sociedades, associações, clubes. Milhões de clubes e de sociedades. Essas sociedades e clubes existem somente para dar atenção às pessoas que não podem receber atenção de outras maneiras. É difícil tornar-se um presidente de uma nação. É difícil tornar-se um prefeito de uma corporação. É mais fácil tornar-se o presidente do Lions Clube; assim um grupo particular lhe dá atenção. Você é muito importante – nada fazendo! Fazendo absolutamente nada, mas mesmo assim eles sentem que são de alguma maneira importantes. O presidente vai mudando; nesse ano um, no ano seguinte outro. Todos recebem atenção. É um arranjo mútuo, e todos se sentem importantes.Desde o princípio a criança aprende política.

A política é: pareça miserável, assim você adquire simpatia, assim todos são atenciosos. Pareça doente; você se torna importante. Uma criança doente se torna ditador; toda a família tem que segui-la – tudo que ela diz é a regra. Quando ela está feliz ninguém a escuta. Quando ela está saudável ninguém se preocupa com ela. Quando ela está perfeita ninguém lhe dá atenção. Desde o princípio começamos escolhendo o miserável, o triste, o pessimista, o lado mais escuro da vida. Isso é uma coisa.

Foto copiada do Blog : http://damaris-damarisreimann.blogspot.com/2009/07/hoje-sou-feliz.html

A segunda coisa relacionada a isso é: Sempre quando você está feliz, sempre quando você está alegre, sempre quando você está extasiado e contente, todos ficam com ciúmes de você. Ciúmes significa que todos são antagonistas, ninguém é amistoso; naquele momento cada um é inimigo. Desse modo você aprendeu a não ser tão extático por que todos se tornam seus inimigos – a não mostrar sua alegria, a não sorrir. Repare nas pessoas quando elas riem. Elas riem muito calculadamente. Não é um sorriso da barriga, não está vindo lá da intimidade de seu ser. Elas primeiro olham para você, então julgam... E assim elas riem. E elas riem até um certo ponto, até o ponto que você irá tolerar, até o ponto que não será tido como inoportuno, até o ponto onde ninguém ficará com ciúmes.Até mesmo nossos sorrisos são políticos. A risada desapareceu; alegria tornou-se absolutamente desconhecida, e ser extático é quase impossível porque não é permitido. Se você for miserável ninguém irá achar que você está maluco. Se você for extático e dançante todos irão achar que você está maluco. A dança é rejeitada, cantar não é aceito. Um homem jubiloso... Achamos que algo deu errado. Que tipo de sociedade é essa? Se alguém é miserável está tudo bem; ele é aceito porque toda a sociedade é miserável, mais ou menos. Ele é um membro, ele nos pertence. Se alguém se torna extático achamos que ele ficou louco de raiva, insano. Ele não é um dos nossos... E sentimos ciúmes. Por causa dos ciúmes o condenamos. Por causa dos ciúmes tentamos de todas as maneiras trazê-lo de volta ao seu velho estado. Chamamos esse velho estado de normalidade. Os psicanalistas ajudarão, os psiquiatras ajudarão a trazer esse homem de volta a sua miséria normal. No Ocidente, toda a sociedade está se voltando contra os psicodélicos. A lei, o estado, o governo, os peritos, a suprema corte, os legisladores, sacerdotes, papas... Todos estão se voltando contra eles. Eles não são realmente contra os psicodélicos, eles são contra que as pessoas fiquem extáticas. Eles não são contra o álcool, não são contra outras coisas que são drogas, mas são contra os psicodélicos devido a que isso pode criar uma mudança química em vocês. E a velha crosta que a sociedade criou ao seu redor, o aprisionamento na miséria, pode ser rompido, pode haver uma ruptura. Vocês podem sair fora disso, mesmo por alguns momentos, e ficarem extáticos. A sociedade não pode permitir o êxtase. Êxtase é a maior revolução. Repito isso: êxtase é a maior revolução. Se as pessoas se tornarem extáticas toda a sociedade terá que mudar, porque essa sociedade é baseada na miséria.Se as pessoas forem alegres vocês não podem conduzi-las para a guerra – para o Vietnam, ou para o Egito, ou para Israel. Não. Alguém que seja feliz simplesmente irá rir e dizer: Isso é besteira! Se as pessoas forem felizes vocês não podem torná-las obcecadas por dinheiro. Elas não irão desperdiçar toda a vida delas apenas acumulando dinheiro. Isso irá parecer uma maluquice para elas que uma pessoa esteja destruindo toda sua vida, apenas trocando sua vida por dinheiro morto, morrendo e acumulando dinheiro. E o dinheiro estará lá quando ela estiver morta. Isso é pura loucura! Mas essa loucura não pode ser percebida a menos que você seja extático.Se as pessoas forem extáticas então todo padrão dessa sociedade terá que mudar. Essa sociedade existe na miséria. A miséria é um grande investimento para essa sociedade. Dessa maneira criamos filhos... Desde o princípio criamos uma tendência para a miséria. É por isso que eles sempre escolhem miséria.

Pela manhã há uma escolha para todos. E não somente pela manhã, a cada momento há uma escolha para ser miserável ou para ser feliz. Você sempre escolhe ser miserável porque há um investimento. Você sempre escolhe ser miserável porque isso se tornou um hábito, um padrão, você sempre fez isso. Você se tornou eficiente em fazer isso, tornou-se uma trilha. Na hora que sua mente precisa decidir, ela imediatamente corre para a miséria.Miséria parece ser como a descida do monte, êxtase parece ser a subida do monte. Êxtase parece muito difícil de alcançar, mas não é assim. A coisa real é exatamente o oposto: êxtase é descer a montanha e a miséria é subir. A miséria é algo muito difícil de conseguir, mas você a conseguiu, você fez o impossível... Porque a miséria é tão antinatural. Ninguém quer ser miserável e todos são miseráveis. A sociedade fez um belo trabalho. Educação, cultura, e os agentes culturais, pais, professores – eles fizeram um belo trabalho. Eles tornaram criadores extáticos em criaturas miseráveis. Toda criança nasce extática. Toda criança nasce um deus. E todo homem morre feito um louco. A menos que você recupere, a menos que você reivindique sua infância, você não será capaz de tornar-se às nuvens brancas das quais estou falando. Esse é todo o seu trabalho, toda a sadhana - como recuperar a infância, como reivindicá-la. Se você puder se tornar uma criança novamente, então não haverá nenhuma miséria. Não quero dizer que para uma criança não existem momentos de miséria – existem. Mas ainda assim não há nenhuma miséria. Tente entender isso.Uma criança pode se tornar miserável, ela pode ficar infeliz, intensamente infeliz num momento, mas ela é tão total nessa infelicidade, ela é tão uma com essa infelicidade que não há nenhuma divisão. Não existe uma criança separada da infelicidade. A criança não está olhando para sua infelicidade separada, dividida. A criança é infelicidade – ela fica tão envolvida nisso. Quando você se torna um com a infelicidade, infelicidade não é infelicidade. Se você se torna um com ela, isso tem uma beleza em si mesmo. Assim olhe para uma criança – digo, uma criança intacta. Se ela estiver com raiva, então toda sua energia se torna raiva; nada fica para trás, nada é retido. Ela se moveu e ficou com raiva; não há ninguém manipulando ou controlando isso. Não há nenhuma mente. A criança tornou-se raivosa, ela não está com raiva, ela tornou-se a raiva. E assim veja a beleza, o florescimento da raiva. A criança nunca parece feia; mesmo na raiva ela parece bonita. Ela apenas parece mais intensa, mais vital, mais viva... Um vulcão pronto para entrar em erupção. Uma criança tão pequena, com tanta energia, um tal ser atômico – com todo o universo para explodir! E após essa raiva a criança ficará silenciosa. Após essa raiva a criança estará muito pacífica. Após essa raiva a criança irá relaxar. Podemos achar que é muita miséria estar nessa raiva, porém a criança não é miserável – ela desfrutou disso.

Se você se torna um com qualquer coisa você fica alegre. Se você se separa de qualquer coisa, mesmo da felicidade, você estará miserável. Então essa é a chave. Estar separado como um ego é a base de toda miséria, ser um, ficar fluindo, com o que quer que a vida traga para você, estar nisso tão intensamente, tão totalmente, que você não é mais, você se perde, assim tudo é felicidade.A escolha está lá, porém você ficou até mesmo alheio a escolha.

Você tem estado escolhendo o errado tão continuamente, isso se tornou um hábito tão morto, que você simplesmente escolhe automaticamente. Você não tem opção. Fique alerta. Cada vez que você estiver escolhendo ser miserável lembre-se: essa é sua escolha. Mesmo essa mentalidade ajudará, a consciência de que isso é minha escolha e de que sou responsável, e isso é o que estou fazendo a mim mesmo, isso é o meu fazer. Imediatamente você sentirá uma diferença. A qualidade da mente terá mudado. Será mais fácil para você mover-se em direção a felicidade.Uma vez que você saiba que isso é sua escolha, então a coisa toda se tornou um jogo. Assim se você ama ser miserável, seja miserável, mas lembre-se, essa é a sua escolha e não se queixe. Não há mais ninguém que seja responsável por isso. Esse é o seu drama. Se você gosta dessa maneira, se você gosta do caminho miserável, se você quer atravessar a vida na miséria, então essa é sua escolha, seu jogo. Você está jogando-o. Jogue-o bem!Assim não vá perguntar as pessoas como não ser miserável. Isso é absurdo. Não vá perguntar aos mestres e aos gurus como ser feliz. Os assim chamados gurus existem porque você é tolo. Você cria a miséria, e assim você vai e pergunta aos outros como destruí-la. E você prossegue criando miséria porque você não está alerta ao que está fazendo. A partir desse momento tente, tente ser feliz e jubiloso.




História do pensamento racial

Uma provocação foi suficiente para Demétrio nos enriquecer com sua pesquisa sobre as origens do mito RAÇAS.

Raça Humana. Foi o que ele escreveu no formulário de matrícula da filha. Por determinação do Mec, toda rede de ensino exige que uma lacuna seja preenchida: Raça _________.

O livro está dividido em 3 momentos . Invenção do termo raças, no sex 19, primeiro por iluministas depois confirmado por cientistas. A desinvenção, após a 2 ª guerra mundial. E, a reinvenção, nos últimos 30/40 anos, com a roupagem do multiculturalismo.
Imagens : Carlos Rezende/Jurandir Barsoti + Clélio Diniz
Edição :Pedro Motta
Pauta : Fernando Mitre

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Carne vencida - data de validade adulterada.

A carne tem cheiro forte. Mas o que a equipe sentiu ao chegar ao depósito era muito desagradável. As instalações péssimas. Veneno de rato misturado a carimbeiras. As mesmas que falsificariam a data de fabricação de alimentos.

Toda vez que um produto vence no meu armário fico em dúvida. Um dia depois... será que posso consumir ? Mas sempre acabo por jogar fora. Um desperdício. Medo de não saber o que aquilo poderá fazer no meu estomago... Há uma razão para alimento ter data de validade, não ?

Agora imagine vc consumir um produto, acreditando que aquela data decisiva em azul foi adulterada. É muita sacanagem. Pior. O produto era vendido para hospitais, restaurantes do Jardins, sim eu ví o nome, escolas, buffets infantis, clubes. Mais de 200 clientes compravam produtos desse distribuidor. Será que o comprador de cada estabelecimento nunca duvidou da procedência. Não existe lanche grátis. Um produto com preço inferior, pode saber, logo trará uma surpresa desagradável. Assista a matéria em :http://bandnewstv.band.com.br/conteudo.asp?ID=177144&CNL=20



Imagens : Ubaldino Mota/ Celso De Marchi + Zorato
Edição : Pedro Motta